DOMINGO, 22 DE JANEIRO DE 2023 Vendido por R$ 400 milhões pelo Palmeiras, Endrick gera discussões no São Paulo, que o teve na base

Os caminhos de Endrick, Palmeiras e São Paulo vão se cruzar mais algumas vezes até a joia palmeirense ser transferida de vez ao Real Madrid, quando completar 18 anos, em 2024. Neste domingo, às 16h, no Allianz Parque, acontece o segundo encontro do jovem atacante com o clube que o perdeu quando estava na base.

São muitos os casos de jogadores que atuaram em um rival nas categorias mais novas, mas são poucos os que conseguem fazer uma negociação girar em torno de R$ 400 milhões. Fato que hoje faz o São Paulo, inclusive, buscar entender o que aconteceu para perder Endrick.

Recentemente, a diretoria tricolor iniciou uma apuração interna para entender os motivos que fizeram Endrick escolher o Palmeiras.

O atacante é a principal esperança do torcedor palmeirense para a temporada. Ainda sem balançar as redes em 2023, Endrick pode usar esse fator “vingança” ao seu favor. É possível chamar de Lei do Ex?

 

Abel Ferreira orienta Endrick no clássico entre Palmeiras e São Paulo — Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Abel Ferreira orienta Endrick no clássico entre Palmeiras e São Paulo — Foto: Cesar Greco/Palmeiras

 

Quando ainda tinha oito anos, Endrick jogava pelo Brasília Fut Academy, que tinha parceria com o São Paulo, que já monitorava o atacante. O jogador e seu pai, Douglas, então, iam duas vezes por ano ao CT são-paulino realizar avaliações.

Aos 10, idade que já possibilitaria o jogador morar nos alojamentos, o Tricolor fez uma proposta por Endrick. Seu pai, porém, disse que aceitaria caso o clube bancasse moradia para a família ou desse um emprego para ele, já que moravam em Brasília. A contraproposta foi uma ajuda de custo de R$ 150 por mês.

Douglas, então, postou o seguinte vídeo de Endrick na Go Cup. Ele fez 17 gols em sete jogos na competição, além de outras jogadas, que chamaram atenção do Palmeiras.

– Um empresário, que estava trabalhando com o pai de Endrick falou para eu olhar esse jogador. Aí ele mandou (o vídeo) para mim, e falei: “O que é que ele quer?” – disse João Paulo Sampaio, coordenador da base do Verdão, em entrevista à TV Palmeiras.

Palmeiras, então, entrou no negócio. Sob o comando de João, o clube ofereceu R$ 2 mil como ajuda de custo para moradia e um emprego para o pai de Endrick dentro da Academia de Futebol.

– Não tem como. Quando eu vi o Endrick falei: "caramba, eu quero". O pai quer um emprego e dois, três mil reais. Foram R$ 2 mil na época, para moradia. Falei: "fechado, pode trazer". No final, se não der certo, é barato. Se ele der certo... – completou.

O resto da história já sabemos. Endrick começou a marcar gols e conquistar todos os títulos possíveis na base do Palmeiras até estrear no profissional no final de 2022 e ser promovido de vez ao time de Abel Ferreira nesta temporada.

 

Leila Pereira confirma a venda de Endrick, do Palmeiras, ao Real Madrid — Foto: Reprodução

Leila Pereira confirma a venda de Endrick, do Palmeiras, ao Real Madrid — Foto: Reprodução

 

O Verdão pode receber até 60 milhões de euros (cerca de R$ 337 milhões) pela venda de Endrick, ao Real Madrid. Quantia que será dividida com o atleta de acordo com a participação de cada um nos direitos econômicos – o Verdão é dono de 70%.

– Concretizamos a maior negociação da história do futebol brasileiro. A proposta do Real Madrid é compatível com o enorme talento do Endrick e corresponde às metas esportivas e financeiras que estabelecemos desde o início das tratativas – disse a presidente palmeirense, Leila Pereira, no dia do acordo com o time espanhol.